Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estante de Coisas

Onde tudo cabe ou sai de lá...

21
Dez17

Mother! Explicando e Spoilando

A estante P

Cá está um filme que divide as opiniões.

Esperei e desesperei até vê-lo, não só porque sou fã da jeitosa Lawrence, mas queria ver essa dita "obra de arte" - para alguns. Desesperei (ainda mais) quando me enviaram um poster pequeno do filme (da Rússia) e que fartavam de elogiar o filme nas cartas e postais.

Até vê-lo! (Obrigada t***flix)

Do director Darren Aronofsky já vi "Requiem for a Dream" e o "Black Swan". Ambos bons, fortes e que puxam pelo miolinho.

Mother! não é excepção.

Percebemos o filme se estivermos constantemente a "ligá-lo" com os ensinamentos bíblicos.

O filme desenvolve-se como a Bília, a primeira parte é o "Antigo Testamento" e mais para o fim temos o peculiar "Novo Testamento", com o nascimento do menino Jesus.

Começa a apresentar a Mãe (Jennifer Lawrence), para mim é a Mãe Natureza, que se esforça (apesar de cansada e desgastada) para manter a Casa (Mundo) cuidada para o seu Criador. O Criador, Deus (Javier Bardem), apresenta-se no filme como seu marido à busca de inspiração, porque está a ter bastantes dificuldades em escrever. Aqui é, evidentemente, o Livro de Génesis. O marido-Deus-escritor-pai, mantém guardado religiosamente um diamante (que para mim deve ser o fruto proibido) no seu escritório. Entretanto, para agitar as coisas na Casa (sim, porque era tudo muito monótono depois de tudo criado), eis que aparecem as primeiras visitas - os seres humanos, Adão e Eva. Primeiro aparece "Adão" (Ed Harris) "do nada". É imediatamente convidado por Ele a permanecer em Sua Casa. Aqui há um pormenor interessantíssimo... Durante uma noite, e antes de aparecer "Eva" (Michelle Pfeiffer), Adão está muito doente e é-nos mostrado uma ferida nas suas costas, a qual Ele tenta disfarçar ao máximo. Sabemos que a Mulher é criada a partir de uma costela do Homem. "E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão."

E, pela manhã, aparece Eva.

Há toda uma agitação, não aceite pela Mãe mas, que Ele teima em deixá-los permanecer em Sua Casa... Para melhorar esta azáfama, eis que aparecem os filhos, "Caim"(Domhnall Gleeson) e "Abel" (Brian Gleeson)... Onde se dá o primeiro assassinato, Caim mata Abel cego de inveja. Mais uma vez, Ele oferece a Sua Casa para o funeral. Mãe não concorda e, expulsa toda a gente de Casa.

Com a Casa serena e sem ninguém, Mãe engravida e Ele ganha inspiração súbita para a(s) sua(s) escrita(uras) e... Começam as enchentes em Casa. Nesta parte "mostram-nos" cada divisão da Casa a simbolizar cada religião, com formas diferentes de adoração.

Até que chega a altura do parto sagrado, o nascimento de "Jesus". Mãe, a protectora, não deixa que Ele lhe leve o menino... Até que um dia, desgastada, Ele consegue entregar o menino à multidão que o acaba por matar. Para mim é a cena mais "chocante". A multidão fica perdoada ao acabarem por comer o recém-nascido. Mesmo assim, Ele perdoa-os.

Depois disto só o Apocalipse né?

 

Não é só um dos cartazes de Mother! (o meu favorito) que nos relembra o "Rosemary Baby"; mas também a parte final, em que as "seitas" retiram o bebé à sua mãe.

 

images.jpgmother_xlg_trans_NvBQzQNjv4BqyoS_LKYdJwLiu6zDiKC-kmotheronlineverticalteaser.0.jpg

 Mais informações aqui e aqui.

 

 

 

A ler

Pesquisar

A Estante

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D